Blog

Home > Medicina > Nota sobre a matéria da revista Veja Sao Paulo

95b7775c64f411e3986c12b308e0cf9c_8

Amigos,

Diante das informações divulgadas na última edição da revista Veja-SP, resolvi me pronunciar por respeito aos meus amigos, pacientes e seguidores.

Tenho mais de 23 anos de formado e mais de dez mil pacientes, nunca tive problemas ou algum tipo de reclamação. O que ocorre é justamente o contrário. Fazendo uma pequena busca nos comentários que recebo, é possível encontrar diversos pacientes relatando a satisfação pelo atendimento recebido e, em alguns casos, nem pacientes são. Existem pessoas que acompanham o meu trabalho e conseguiram melhorias em suas vidas simplesmente por seguirem as dicas que divulgo nas mídias sociais.

Na reportagem o que me deixou mais indignado foi o tom pejorativo sobre o meu estilo e história de vida. Eu malho todos os dias, me alimento saudavelmente, não tenho vícios e prezo sempre pela qualidade de vida. Usar esse tipo de tom para falar sobre o estilo de vida é negar todos os benefícios de uma vida saudável, é falar sem conhecimento de causa. Os pacientes que atendo não buscam apenas um “corpo perfeito para o próximo verão”, mas sim qualidade de vida, saúde e mudanças reais. Quem vem até o meu consultório, vem em busca de renovação e não de “pílulas mágicas”, porque vocês sabem que eu NÃO acredito nisto. Minha vida é isto o que vocês acompanham: rotina saudável, trabalho duro. E é isto que passo para os meus pacientes.
Não é estranho que durante todos esses anos, apenas uma pessoa (repórter) achou algo que não esteja dentro dos padrões? Se eu tivesse realizado algo que não atendesse os princípios éticos, dificilmente teria uma careira consolidada. Dificilmente receberia mensagens de pacientes tão satisfeitos (e isso a curto, médio e longo prazo!).

Em relação ao uso de hormônios, como eu sempre digo, é preciso ser feito de forma ética, consciente e por um profissional capacitado! A modulação hormonal possui sim benefícios ao organismo quando feita da maneira e dosagem corretas. Modulação hormonal é equivocadamente relacionada aos anabolizantes, uma visão distorcida da realidade. A modulação hormonal só ocorre após a realização de exames que comprovem que ela será benéfica.
Há alguns meses o editor da revista me procurou para uma consulta. Conforme a conversa e os exames de sangue apresentados ficou estabelecido uma modulação hormonal, prática reiterada e comum em pacientes que possuem alterações nos níveis de hormônios. Na reportagem são citados diversos temas desconexos, passando uma mensagem que não condiz com a realidade praticada. Primeiramente, ele diz que a consulta durou apenas 30 minutos, o que não é verdade!

Todos que já se consultaram comigo sabem que prezo pela excelência do atendimento baseada na anamnese completa, bem como avaliação dos exames. Minhas consultas costumam durar em torno de um hora, salvo pacientes antigos que retornam apenas para acompanhamento. A consulta jamais se inicia baseada no quesito composição corporal. Quem passou comigo sabe que a consulta é feita com base nos 4 pilares da vida saudável. Questiono sobre a qualidade do sono e busco corrigir as deficiências visando um sono restaurador ao paciente. Converso sobre a alimentação, pois ela é fundamental para qualquer resultado que ele esteja buscando, seja ganho ou perda de peso. Busco entender o nível de estresse de cada um, recomendando e orientando sobre como modular e manusear o problema, inclusive com técnicas de relaxamento, respiração e esportes, entre outros. Mas, principalmente, corrigindo o sono não-reparador que todo indivíduo sob estresse apresenta. Também vale lembrar que nenhuma dieta será eficiente caso a saúde intestinal não seja plena e não apresentar uma flora intestinal regulada.

Por fim, falamos de atividades físicas, orientando a melhor técnica ou atividade a ser executada em busca do objetivo ou necessidade de cada paciente. A modulação hormonal só aparece ao fim de todo este trabalho e avaliação, e somente quando é clínica e laboratorialmente indicada, como no caso do jornalista, que apresentou níveis mínimos de testosterona dentro do padrão de normalidade. Por isso, fiz a indicação de um CREME Transdérmico DE TESTOSTERONA (como está na receita!) e não um anabolizante! O que foi feito chama-se modulação hormonal com hormônios bio-idênticos e não “bomba” ou anabolizante como é citado na matéria. Inclusive, os hormônios utilizados possuem benefícios já conhecidos para a saúde!

Como ele havia dito durante a avaliação física que faço antes da consulta, solicitando ajuda devido sua magreza e informando que já havia tentado todas as dietas e soluções disponíveis no mercado, ele estava interessado em utilizar recursos ergogênicos e não mais dietas ou suplementos. Diante da situação e da necessidade física, após a avaliação e níveis laboratoriais abaixo dos níveis medianos, entendi que a prescrição feita com a oxandrolona e o estanazolal (substâncias lícitas e liberadas pela ANVISA e disponíveis no mercado brasileiro de manipulação e que, inclusive, já foram vendidas por décadas pela indústria farmacêutica brasileira como lipidex. E que, atualmente, em países da Europa e América do Norte são produzidas por grandes indústrias farmacêuticas) por um período pré-determinado. Ao contrário do mito de que essas substâncias proporcionam um “corpo perfeito”, no trabalho realizado por mim elas atuam apenas como um auxílio para atingir os objetivos desejados, pois o essencial em qualquer mudança é a reeducação alimentar, sono de qualidade e a prática de atividade física.

A desinformação do repórter em relação ao tema abordado é tão grande, que ele se atropela fazendo afirmações caluniosas. Na matéria ele diz que foi indicado GH com aplicação na clínica, o que é uma inverdade, pois, primeiramente, conforme pode ser visto na receita, sequer está descrita a prescrição deste hormônio. Além disso, ele demonstra total desinformação e má fé ao informar que a aplicação é feita na clínica.
Ora, se ele ao menos tivesse buscado mais informações não cometeria esse erro grosseiro, pois, na verdade, o GH é vendido com prescrição médica (que ele não possui).

Qualquer paciente com receita pode adquirir em distribuidora farmacêutica e a sua aplicação é feita pelo próprio paciente com agulhas subcutâneas, aplicadas antes de deitar, o que não justificaria vir a clínica para isso. Esse procedimento NÃO é e nunca foi realizado em minha clínica e nem nas que conheço, pois como foi citado acima, o GH é de uso exclusivo do paciente e ele utiliza em sua própria casa.

Sou médico, fiz residência em oftalmologia e me orgulho muito disso. Porém, ao longo de minha vida, acabei optando por uma outra área médica, na qual realizei diversos estudos e cursos, como dezenas de cursos de medicina regenerativa nos EUA, duas pós-graduações em Nutrologia pela ABRAM, dois anos de pós-graduação em Endocrinologia pelo IPMED, sempre em busca de atualização.

Quando ele tenta desmerecer meu currículo pela falta de um título, isso novamente demonstra a falta de informação e o desejo de ferir a minha imagem, pois o título de especialista é utilizado para fins acadêmicos e concursos público e sua falta NÃO INVIABILIZA a prática da medicina.

Novamente o jornalista mostra sua falta de caráter ao colocar meias verdades ditas durante nossa consulta. A tal carona hormonal dita por ele de forma pejorativa não passa de uma resposta a um questionamento dele, que acreditava que basta um remédio para ficar sarado. Quem me acompanha vê o quanto prezo pelo estilo de vida e, como disse anteriormente, essas substâncias são utilizadas em conjunto com a prática de atividade física, alimentação saudável, redução do estresse e demais cuidados médicos!
Sou citado como o “Profeta da turma da malhação intensiva”, mas quem me conhece e conhece meu trabalho sabe que sou um discípulo da saúde. O que busco é qualidade de vida para mim, minha família e para aqueles que me cercam! Basta verificar as fotos que publico e verão que isso tudo é real!

Minha agenda é composta por público diversificado, contando principalmente com famílias ou mulheres de 30 a 60 anos, bem como pessoas que visam emagrecimento e qualidade de vida.

Quero agradecer todas as mensagens de amigos, pacientes e seguidores que conhecem e confiam no meu trabalho. Não é uma reportagem distorcida e totalmente tendenciosa que fará que eu deixe de acreditar que o estilo de vida que levo seja o melhor caminho para obter qualidade de vida. Obrigado pelo carinho, apoio e confiança no meu trabalho, tanto dos pacientes quanto dos seguidores.