rspress
CARREGANDO
Vamos conversar?

blog

Assessoria de imprensa na gestão de crise

Assessoria de imprensa na gestão de crise

rspress Assessoria de Imprensa 31.05.2021

A assessoria de imprensa constrói, reformula e desenvolve estratégias para dar visibilidade a uma pessoa, instituição ou marca. Mas será que é sempre assim?

Recentemente, publicamos em nosso Blog um texto com 5 motivos para contratar a assessoria de imprensa , mostrando que essa ação de comunicação é fundamental na mediação entre os clientes e os veículos de imprensa, influenciadores digitais, potenciais parceiros e com o público. Hoje, vamos falar quando a assessoria atua para seus clientes não terem tanta visibilidade: ou seja, na gestão de uma crise.

Criando um comitê de gestão de crise

Toda pessoa, instituição ou marca estão sujeitas a situações constrangedoras e que, se não identificadas e geridas a tempo, podem impactar decisivamente na imagem e prejudicar as vendas. Gerenciar uma crise por meio da assessoria de imprensa é tomar decisões para resolver problemas inesperados, procurando rapidamente por suas causas e, assim, preservar a reputação, reduzir o tamanho da crise e, até mesmo, tirar aprendizados com ela.

O primeiro passo é criar um comitê de prevenção e gestão de crise em parceria com a sua agência de comunicação. Normalmente, o comitê é formado por profissionais de comunicação treinados e pelo cliente ou pelas principais lideranças da instituição, ou marca, que precisam estar alinhados sobre como vão se posicionar perante o público e a sociedade, diante de um cenário desafiador.

O comitê apura os fatos para resolvê-los, aciona o setor jurídico caso precise, orienta ações para não agravar a crise e estabelece quais informações são sigilosas e quais podem ser publicizadas. Além disso, define um porta-voz ou as lideranças estão aptas a se pronunciarem e faz um media trainning de emergência com eles, direcionando as melhores palavras e a postura para se expressar, caso sejam entrevistados por veículos de imprensa.

No caso de uma instituição ou marca, também direciona a equipe de comunicação, de redes sociais, de segurança do trabalho, de recursos humanos, operações e teleatendimento sobre como devem se portar caso sejam questionados por veículos de imprensa, indicando que estes devem procurar pela assessoria de imprensa.

Para a imprensa, inicialmente, é o assessor de imprensa que emite comunicados quando necessários e atende as solicitações. Muitas vezes, portanto, a atuação dos profissionais de comunicação do comitê é para que a pessoa, instituição ou marca não tenha visibilidade no noticiário. São esses profissionais que avaliam se será o caso de agendar uma entrevista com o porta-voz ou com as lideranças.

O caso hipotético do hospital

Para facilitar, vamos dar um exemplo? Imagine que uma pessoa morre em um hospital e os familiares acusam a instituição de omissão de socorro e chamam os veículos de imprensa para denunciar. Imediatamente, um comitê de gestão de crise deve ser instaurado, com a participação dos gestores do hospital e, se possível, com a participação do líder da equipe médica que prestou o atendimento.

Os fatos devem ser esclarecidos pelo comitê, que será direcionado como se portar e como orientar as equipes do hospital caso sejam procuradas pela imprensa. Também, será acionado o setor jurídico, para auxiliar no diálogo com a família, que a essa altura poderá contar com um advogado.

A assessoria de imprensa irá negociar com os veículos de imprensa e já deverá ter um discurso alinhado com o porta-voz ou com as lideranças e o jurídico. Caso solicitem, o representante dará entrevista e deve trazer firmeza na fala, coerência no jeito de se expressar e ser solidário ao sofrimento dos familiares que perderam um ente querido. E não precisará mentir, pode dizer que os fatos estão sendo apurados e que se houver comprovação de omissão, os responsáveis receberão as devidas sanções.

Saindo da crise

Como a imprensa funciona com fatos da atualidade, ela pode não ter tempo e espaço para pautar a situação que aconteceu com uma pessoa, instituição ou crise por muitos dias – a não ser que seja algo extremamente grave. Por isso, é preciso que o comitê tenha seriedade e destreza para gerenciar a crise e averiguar os fatos, no sentido de resolvê-los, para que ocupem o menor espaço possível na mídia.

Após o ocorrido, as informações geradas com a crise serão úteis para um diálogo com as lideranças a fim de identificar possíveis mudanças em processos e fluxos, e até mesmo em valores, para que a crise traga aprendizados e mostre que, mesmo em contextos extremos, é possível saber como agir e corrigir – por isso, diz-se que o comitê também é de prevenção. Dessa maneira, é possível que novos paradigmas sejam pilares para a consolidação da credibilidade da pessoa, instituição ou marca para com o público e a sociedade.

É importante mencionar que as ações do comitê de gestão de crise são personalizadas e dependem da situação e do que ela exige. Esse comitê também estará aberto a novos direcionamentos, conforme a averiguação dos fatos. O importante é sempre considerar a necessidade da criação de um comitê e contar com profissionais de comunicação com experiência e tempo de mercado. Essa é uma das qualificações dos profissionais da agência RS. Se precisar gerenciar uma crise, conte conosco!

[avatar]

rspress Informações sobre o autor.

Cadastre-se para receber conteúdos
exclusivos sobre comunicação e marketing.